Sete inventos futuristas que prometem uma revolução na TI

O Futuro é agora

O Futuro é agora

Eles ainda estão em fase de pesquisa por cientistas espalhados pelo mundo como é o caso da bateria em spray, o serviço de resgate via Wi-Fi e um algoritmo para combate a cibertaques corporativos.
A indústria de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) tem a inovação em seu DNA, seja com desenvolvimento interno ou apostas disruptivas de laboratórios independentes e universidades. Como resultado disso, muitas tecnologias futuristas estão sendo criadas pelos gênios desse setor em diversos centros de pesquisas espalhados pelo mundo.
Algumas dessas tecnologias ainda estão protótipos em laboratórios e com grande chance de se tornarem produtos comerciais num futuro não muito distante. A seguir você confere sete dessas inovações.

1- Tradutor de idiomas Duolingo

Desenvolvido pelo professor Luis von Ahn, guatemalteco, e seu aluno de graduação, Severin Hacker, da universidade Carnegie Mellon, o Duolingo é um serviço online grátis que permite que as pessoas aprendam simultaneamente novos idiomas e traduzam textos de outros sites. O Duolingo é uma versão evoluída do tradicional Google Translator, mas com capacidades mais avançadas que prometem romper as barreiras idiomáticas entre os povos do planeta.

2- Resgate via Wi-Fi

Pesquisadores alemães da Universidade Técnica de Damstadt criaram uma forma de fazer com que os roteadores domésticos Wi-Fi se tornem redes de backup para serem utilizadas pela polícia, bombeiros e outros serviços de emergência quando a telefonia tradicional estiver fora do ar. Os inventores deste sistema garantem que a atual proliferação de roteadores e a densidade são suficientes para criar uma rede mesh extensa o suficiente para atender serviços de emergência. A única questão é saber se os cidadãos vão aceitar o acesso de seus roteadores particulares pelas autoridades devido aos problemas de segurança.

3-Combate ao ciberataque

Os engenheiros da Universidade de Tulsa querem diminuir a velocidade de acesso e o tráfego de entrada em um sistema específico para ajudar administradores de rede a combater ataques cibernéticos. Segundo esses pesquisadores, a redução de tráfego permite detectar malware e criar um algoritmo de defesa contra ataques às redes corporativas em alta velocidade.

4-Defesa de segurança

Especialistas da Universidade de Washington criaram um jogo de cartas chamado Control-Alt-Hack, projetado para explicar facilmente os conceitos básicos de segurança para os estudantes de Ciência da Computação. O jogo, apoiado em parte pela Intel e pela National Science Foundation dos Estados Unidos, foi lançado oficialmente na conferência de segurança Black Hat, realizada recentemente em Las Vegas. O Control-Alt-Hack é um jogo de tabuleiro para três a seis jogadores que trabalham para uma empresa chamada Hackers Inc. Os jogadores enfrentam diversos desafios de segurança, como hackear o sistema de pagamento de um mini-bar do hotel ou um implante médico via Wi-Fi .
O jogo é recomendado para pessoas com mais de 14 anos e não requer nenhum conhecimento prévio de computadores, mas grandes doses de humor e vontade de aprender.

5- Software com menos falha

Um grupo de pesquisadores da Universidade de San Francisco foi surpreendido com o número de vezes que cada u deles falhou no desenvolvimento de software, elevando os custos inicial de projetos. Por isso o grupo decidiu criar uma técnica para treinar engenheiros de software para que possam trabalhar juntos de uma forma mais eficiente. A pesquisa, que também envolveu pesquisadores da Universidade Florida Atlantic University e da Universidade de Fulda, na Alemanha, está realizando um experimento com alunos para criação de um modelo de software que prevê quando uma equipe está fadada ao fracasso. Eles conseguem fazer essas previsões com base nas relações e interações sociais entre os participantes da equipe de desenvolvimento.

6- 4G já é passado

A Universidade de Arkansas está envolvida em um projeto ambicioso para o desenvolvimento de sistemas de comunicação sem fio de baixíssimo consumo de energia. A nova tecnologia pode coletar e enviar dados via sensores remotos, com pouca distorção para longas distâncias. Esses sistemas tolerantes vão permitir que as baterias e outros componentes durem mais tempo e consumam menos energia em diversas aplicações. Podem ser úteis para o monitoramento de animais e para as redes de comunicação em túneis ou em ambientes fechados e difíceis de captarem sinais.

7-Baterias em spray

Hoje todos sofrem com as baterias em laptops e celulares. Mas não se preocupe: este tipo de infortúnio pode entrar para a história graças a um protótipo desenhado pela Rice University, em Houston: um spray bateria. A bateria recarregável é similar as lítio usadas hoje na maioria dos dispositivos móveis. A diferença é que o protótipo pode ser aplicado em todas as camadas de superfície, com um spray convencional, dispensando o uso de carregadores.

Segurança da informação é frágil no Brasil, diz Ipea.

Segurança da InformaçãoPesquisadores do instituto lançaram livro mostrando que o mercado brasileiro é um dos mais vulneráveis.
O Brasil está entre os países mais vulneráveis do mundo quando se trata de segurança da informação. A produção científica brasileira na área é baixa e, por isso, o País é considerado “seguidor”, por lançar novas tecnologias muito tempo depois dos outros países.
Estas constatações estão no livro Tecnologias da Informação e Comunicação: Competição, Políticas e Tendências, lançado ontem (30/08) por pesquisadores e colaboradores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).
Do ponto de vista das políticas públicas, o técnico do Ipea Luis Claudio Kubota, um dos organizadores da obra, disse que o País precisa ficar atento, pois o mercado de tecnologia da informação é extremamente globalizado e dominado tanto por operadoras quanto por fornecedores de equipamentos estrangeiros.
Outra questão diz respeito à convergência digital, que é uma realidade cada vez maior e une as telecomunicações e a tecnologia da informação, com dispositivos móveis, como os smartphones e os contéudos.
De certa forma, as agência regulatórias não estão muito adaptadas para este novo mundo. Estão muito focadas, cada uma na sua caixinha. Por isso, existe, hoje, por exemplo, a necessidade da Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações] se articular com a Ancine [Agência Nacional de Cinema], disse Kubota.
Para o pesquisador, embora tenha melhorado muito no aspecto de participação em órgãos de padronização e de patentes e no volume de produções científicas, o Brasil inicia seu desenvolvimento científico em uma base muito pequena. A participação do país em produção científica é muito pequena, se comparada com a de outros países. Além disso o mercado é seguidor, porque lança as tecnologias com muitos anos de atraso.
Segundo Kubota, são fatores que acabam dificultando a chegada do País á fronteira do conhecimento e da competitividade. Ele e os demais autores do livro lembram que qualquer mudança neste comportamento será de longo prazo e não pode escapar da educação.

Hitachi Data Systems busca crescimento com virtualização de storage

Hitachi Data Systems

Hitachi Data Systems

Companhia acredita ainda que lei que regulamenta documentos digitais no País pode ampliar busca por soluções de armazenamento.
Há quatro anos consecutivos, a subsidiária brasileira da Hitachi Data Systems, provedora de tecnologias e serviços, tem registrado crescimento dos negócios na casa dos dois dígitos. Os bons números levaram a empresa a ampliar o time em solo nacional em 30% e a incrementar em 35% os parceiros com o objetivo de fortalecer a presença no mercado. Recentemente, a companhia avançou na estratégia e contratou Marcelo Sales como novo diretor de vendas da America Latina.
Uma das apostas da empresa para crescer é a virtualização de storage. A indústria aborda bastante a virtualização de servidores para reduzir o custo total de propriedade. Nós fomos além e apostamos na virtualização de storage, diz Airton Pinto, diretor-geral da Hitachi Data Systems no Brasil. Uma das estratégias da companhia para o setor são as alianças, como a firmada com a VMware.
De acordo com Airton, o salto de Big Data, grande quantidade de dados, estruturados e não estruturados, nas organizações vai impulsionar o uso de virtualização de storage. O executivo observa que alguns segmentos estão demandando mais soluções para armazenamento de dados, como finanças e telecomunicações.
Com a lei que regulamenta documentos digitais que entrou em vigor no Brasil e garante a validade jurídica dos documentos digitalizados e distribuídos pelos meios eletrônico, a expectativa da empresa é que a procura por armazenamento cresça ainda mais. “A lei pode impulsionar nossas soluções que ajudam a garantir integridade de documentos por um longo período”, diz Sales. Ele, no entanto, diz que é cedo para realizar projeções numéricas sobre o salto esperado.
Sales aponta que a virtualização, o fenômeno do Big Data, e a guarda de dados têm alavançado ainda as soluções de arquivamento de conteúdo. Esse tipo de tecnologia garante a integridade e o acesso rápido aos dados”, explica. Ele acrescenta que diante da massa de informações, gerenciá-las e entendê-las de forma estratégica possibilita diferencial competitivo. Salvar informações em fitas não é uma opção viável. Nossas soluções de arquivamento estão preparadas para manter as informações vivas no decorrer do tempo, acompanhando a evolução tecnológica, assinala.
Como exemplo de utilização da tecnologia, Airton cita uma empresa de call center, que pode mapear ligações, gerenciar informações das gravações e usar os dados para criar produtos ou oferecê-los a um grupo de consumidores. Quando aplicada aos negócios o poder é enorme e pode facilitar as operações, indica.

Hitachi Data Systems agora suporta o Windows Server 2012

Windows Server 2012

Windows Server 2012

Neste mês, a Microsoft anunciou o seu primeiro servidor Windows Cloud OS lançamento com a introdução do Windows Server 2012, e HDS está animado para fazer parte da próxima geração de soluções Microsoft esta versão permite.HDS tem uma reputação na indústria de TI para a liderança na missão crítica arquiteturas com serviço da empresa e apoio, e estamos estendendo nossa experiência para trazer as melhores soluções possíveis para a plataforma Windows Server.
Temos colaborado com a Microsoft desde o início de 2010 e ter arquitetado os nossos produtos de ser otimizado para o Windows Server 2012 recursos. Nós também acreditamos que o Windows Server 2012 estabelece a base para soluções Hitachi criados no Microsoft Privada arquitetura faixa nuvem rápida que combinam Hitachi computação e armazenamento com padrão da indústria de infra-estrutura de rede e gerenciamento do System Center 2012 com SP1. Isto é interessante porque o Windows Server 2012 escalas de até 64 nós e pode suportar milhares de máquinas virtuais usando Hitachi infra-estrutura-como- um-serviço (IaaS) e Plataforma-como-um-serviço (PaaS) ofertas.
Clientes a confiança de infra-estrutura HDS porque ele é projetado para os ambientes mais exigentes, e estamos prontos para enfrentar o desafio. HDS servidores e armazenamento são o Windows Logo Listadas e Certificado para o Windows Server 2012 noWindows Server Catalog . Na verdade, a HDS tem mais produtos de armazenamento listados para o Windows Server 2012 do que qualquer outra empresa. Para ver os nossos anúncios no site Catálogo do Windows Server, clique em ” Certificado para o Windows Server 2012 “para uma lista completa de Hitachi produtos certificados. Pesquisa sobre os seguintes produtos HDS: – Hitachi de armazenamento unificado – Hitachi Virtual Storage Platform – Hitachi Universal Storage Platform – Hitachi Compute Blade 500 – Hitachi Compute Blade 2000 Para mais informações sobre a Hitachi soluções para a Microsoft, procura a PAX TECNOLOGIA.

F5 Networks registra lucro líquido de US$ 68,6 milhões

F5 Networks

F5 Networks

Faturamento foi de 339,6 milhões de dólares, 5,3% acima dos 322,4 milhões de dólares do trimestre anterior.
O lucro líquido da F5 Networks, especializada em gerenciamento de tráfego na web, foi de 68,6 milhões de dólares no segundo trimestre fiscal da empresa, que inclui o período entre os dias 1º de fevereiro e 31 de abril de 2012. No trimestre anterior, a companhia registrou 66,5 milhões de dólares.
A empresa faturou 339,6 milhões de dólares, 5,3% acima dos 322,4 milhões de dólares do trimestre anterior e 22,4% a mais do que os 277,6 milhões de dólares do segundo trimestre fiscal de 2011.
De acordo com André Mello, diretor-geral da F5 Networks Brasil, a contínua demanda por plataformas Viprion, a tecnologia “vCMP” (Virtual Clustered Multiprocessing) e a variedade de módulos do carro-chefe da F5, a solução BIG- IP, contribuíram para os ganhos no trimestre, especialmente no lucro líquido, que salta 18% ano após ano.

Ciberataques direcionados crescem 392% no primeiro semestre de 2012

Segundo relatório, ataques baseados em e-mail saltaram 56% no período.

Segundo relatório, ataques baseados em e-mail saltaram 56% no período.

No primeiro semestre do ano as atividades maliciosas baseadas na web cresceram 392% em comparação com igual período de 2011. Segundo dados do Relatório de Ameaças Avançadas 1H 2012, da FireEye, especializada em eliminar ciberataques, no período foram identificadas 643 infecções bem-sucedidas por semana.

Esse número inclui, diz o relatório, ameaças baseadas em arquivos enviados pela web. Elas podem ser executáveis ou conter explorações a vulnerabilidades visadas em aplicativos. Seus downloads são realizados diretamente pelos usuários, por meio de uma exploração ou por links em e-mails.

Os pesquisadores da FireEye observaram ainda um crescimento de 56% em ataques baseados em e-mail no segundo trimestre de 2012 contra o primeiro trimestre de 2012.

Os padrões de ataque variam substancialmente por indústria, indica o estudo. Entre as verticais que mais são alvos de ataques estão assistência médica, serviços financeiros e tecnologia. Porém, uma constante permanece: indústrias com propriedade intelectual significativa ou dados de consumidores ou financeiros são os principais alvos do aumento dos ataques.

“O resultado desse relatório torna claro que defesas reativas baseadas em assinatura não podem evitar que o malware penetre na corporação”, afirma Ashar Aziz, fundador e CEO da FireEye. “Os criminosos permanecem um passo à frente das defesas tradicionais, portanto as empresas devem repensar suas arquiteturas de segurança de TI”, aconselha.

O Relatório de Ameaças Avançadas é baseado em dados do FireEye Malware Protection Cloud, um serviço conduzido por milhares de aplicações da FireEye, bem como inteligência direta de malware descoberta por seu time de pesquisa.

F5 Networks aprimora solução de DNS

F5 Networks

F5 Networks

A F5 Networks anuncia a oferta de serviços dinâmicos para ajudar organizações a responder a consultas de DNS (Domain Name System – Sistema de Nomes de Domínios) e solicitações de aplicativos, consolidar a infraestrutura e oferecer proteção end-to-end para seus sistemas de DNS. De acordo com André Mello, country manager da F5 Networks no Brasil, esta suíte de serviços permitirá aos clientes da empresa, a partir de agora, reduzir a latência de resposta interna e de rede em até 80%, escalar seus sistemas perfeitamente em até 10 vezes, conforme o crescimento da demanda e oferecer segurança avançada de DNS para ambientes físicos, virtuais e em nuvem. Os serviços estão disponíveis na versão 11.2 do software BIG-IP. “Com a crescente complexidade dos aplicativos online, o volume de consultas totais de DNS vem duplicando nos últimos cinco anos e um site moderno, por exemplo, pode requerer mais de 100 resoluções de nome de DNS para processar a página inteira. Esse aumento de solicitações tem bloqueado a disponibilidade dos aplicativos para os usuários”, explica. Segundo o executivo, equipes de TI das empresas têm tentado resolver estes problemas de desempenho e escalonamento de DNS por meio da adição de novos servidores, terceirização de funções de DNS ou da implantação de uma variedade de produtos em suas infraestruturas internas. “Entretanto, todas essas abordagens têm se mostrado dispendiosas e ineficazes”, destaca. As soluções da F5 BIG-IP®,, em que estão inseridos estes novos serviços de DNS dinâmicos, são posicionadas de maneira ideal para gerenciar e distribuir solicitações de DNS e aplicativos de forma inteligente com base em políticas de negócios, demandas de acesso e condições de rede, o que proporciona uma experiência otimizada e confiável para os usuários, bem como para a equipe de TI. Com este anúncio, a F5 está apresentando novos recursos, incluindo geração de cache e resolução de DNS, validação de DNSSEC (Domain Name Systems Security Extensions – extensão segura para DNS), monitoramento e outros aprimoramentos de desempenho — com base em soluções anunciadas anteriormente para Provedores de serviços de comunicação e assinatura de DNSSEC. “Conforme os aplicativos e as infraestruturas de DNS se tornam mais complexos para atender a questões de segurança e desempenho, as organizações consideram impossível escalar e gerenciar seus sistemas com eficiência. Com a suíte de serviços DNS, os clientes passam a desfrutar de uma solução global completa de distribuição de DNS e aplicativos com a inteligência para aumentar a segurança, o desempenho e a disponibilidade de seus serviços de DNS essenciais”, afirma. Os serviços de DNS dinâmicos da F5 permitem aos clientes são: • Otimizar, escalar e controlar infraestruturas de DNS facilmente O produto BIG-IP Global Traffic Manager da F5™ escala os recursos de DNS perfeitamente em até 10 vezes como um servidor de DNS dominante, aumentando radicalmente as taxas de resposta de consulta para tempo máximo de atividade. Além disso, a tecnologia iRules® de DNS da F5 proporciona controle personalizável às organizações sobre a maneira de lidar com solicitações de DNS específicas, dando aos clientes a capacidade de se concentrar em suas necessidades mais críticas. • Fornecer proteção end-to-end para sistemas de DNS essenciais Somente as soluções da F5 oferecem proteção abrangente para DNS e aplicativos com segurança incorporada para lidar com volumes extremamente altos de solicitações de DNS — até 10 vezes mais do que sem a F5 — e sistemas de escudo contra ameaças como ataques DDoS. Os clientes desfrutam da solução completa de DNSSEC, incluindo assinatura de DNSSEC em tempo real para respostas de servidor dominante e validação de cliente de DNSSEC de alto desempenho para proteção end-to-end. • Proporcionar uma experiência de usuário aprimorada e confiável A F5 possibilita uma navegação mais rápida na Web por meio da redução dos efeitos de latência em até 80% com funções de geração de cache DNS e resolução — ajudando visitantes internos e na rede a encontrar rapidamente o que procuram, resultando em uma experiência mais integral para usuários e administradores. Com a eficiência adicional que as soluções da F5 oferecem, as equipes de TI podem reduzir significativamente o número de servidores de DNS necessários para suportar seus sistemas, consolidar implantações e reduzir custos. E, graças à facilidade de implantação dos serviços de DNS da F5 com o BIG-IP Global Traffic Manager, é possível combiná-los com outros produtos de BIG-IP para melhorar ainda mais a segurança e o desempenho dos aplicativos.

F5 Networks ajuda TRT/RJ a baixar o tempo de resposta às consultas processuais

F5 NetworksSolução de distribuição de aplicações em ambiente Web melhora o acesso de advogados e cidadãos ao portal do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, além de garantir a segurança do ambiente

O Tribunal Regional do Trabalho foi criado em 1932, no Rio de Janeiro (RJ), com o objetivo de mediar conflitos trabalhistas entre funcionários e empregadores de todas as partes do Brasil. A meta era fazer valer direitos e corrigir possíveis injustiças cometidas tanto por falhas de funcionários como por erros da classe patronal. Até pouco tempo, um processo que tramitava pelos tribunais trabalhistas só chegava às mãos dos magistrados pelos velhos arquivos de papel. A era digital mudou essa realidade. Hoje, o tribunal atua a partir de uma sólida infraestrutura de TI e comunicação, o que suporta o aumento do fluxo de transações em seu portal, além do crescimento das consultas processuais e consultas à ouvidoria. Para melhor garantir a entrega das informações em ambiente distribuído, o TRT/RJ conta com as soluções da F5 Networks.

O processo de modernização agiliza a consulta dos processos que tramitam na Casa. “Centenas de escritórios de advocacia do Rio de Janeiro são responsáveis por milhares de consultas diárias em nosso portal”, explica André Muniz, Chefe da Coordenadoria da Gestão de Núcleo de Computação (CGNC) da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TRT/RJ. Segundo Muniz, parte dos acessos é realizado pelos próprios cidadãos, sem a intermediação de advogados. “Isso constitui uma grande demanda de acessos. A implementação do BIG-IP 3900 fez com que o tempo de resposta da cada consulta processual, antes em torno de 40 segundos, baixasse consideravelmente.

As aquisições de dois equipamentos BIG-IP 3900 ajudarão nos objetivos do TRT/RJ. Os BIG-IP 3900 são acompanhados dos módulos LTM (Local Traffic Management) para distribuir aplicações entre servidores e serviços e também para o gerenciamento de cachê, o GTM (Global Traffic Management) para servidores dos data centers da instituição, além de recuperação de desastres e links externos, o DNSSEC para segurança do DNS (Domain Name System) e o ASM (Applications Security Manager) com funções de firewall de camada 7 ; todos produtos que fazem parte do processo de modernização da infraestrutura de TI do TRT/RJ.

Os desafios

Se por um lado, a era digital vem trazendo cada vez mais agilidade na condução dos processos, otimização de mão de obra e mais acessos à sociedade, por outro lado é um desafio manter a alta disponibilidade dos serviços. São necessários constantes aprimoramentos e investimentos em servidores, sistemas de armazenamento e ferramentas para lidar com esse volume e complexidade da tecnologia”, constata Muniz. Diante desse cenário, no início de 2010, o TRT/RJ começou a buscar no mercado soluções para melhorar a distribuição de suas aplicações pelos servidores, além de produtos de segurança para realização de bloqueios com o mínimo de falsos positivos, devido à presença de inúmeros robôs que são utilizados nos acessos aos serviços oferecidos através do Portal do Tribunal, alguns inclusive, nas mãos de hackers.

O TRT/RJ apresentava também uma dificuldade na obtenção de registros dos acessos aos seus serviços e, por isso, não tinha muita granularidade destas informações.

Os resultados já alcançados

A conquista de melhorias vem acontecendo gradativamente por conta da complexidade que envolve todo o ambiente e da capacidade dos sistemas da F5 Networks que traz muitos recursos. André Muniz acredita que, até o final de 2012 já estará utilizando integralmente o BIG-IP 3900 e todos os seus módulos. Até lá, os cerca de 4.000 usuários internos, profissionais do Tribunal que já usufruem dos benefícios relacionados a consultas, também serão beneficiados com melhorias na infraestrutura utilizada pelo sistema SAPWeb, cuja integração ao F5 encontra-se em estágio de homologação. “O BIG-IP é peça importantíssima na nova infraestrutura que estamos montando para os sistemas informatizados do Tribunal. Na gíria futebolística o compararia a um carregador de pianos. Não aparece, mas é fundamental!”, acrescenta Muniz.

Sobre a F5 Networks

A F5 Networks é líder mundial no mercado de Application Delivery Networking (ADN), com foco em garantir a segurança, desempenho e a alta disponibilidade de aplicações. A companhia, que tem sede em Seattle, Estados Unidos, oferece soluções de balanceamento de carga entre servidores, entre links de internet e entre data centers, além de firewall de aplicação, VPN SSL e gerenciamento de storage. A empresa está no mercado brasileiro desde 2001, através de distribuidores e revendas. No final de 2005, a F5 instalou oficialmente sua subsidiária brasileira, em São Paulo. Mais informações: www.f5networks.com.

Dell Sonicwall espera crescimento superior a 50% este ano no Brasil

Dell Sonic Wall

Dell Sonic Wall

A Dell Sonicwall, divisão da fabricante de PCs formada após a compra da fornecedora de soluções de backup de dados e segurança de rede, registrou crescimento de 45% nos últimos dois anos no Brasil. Embora não divulgue cifras regionais, a empresa estima, agora com a integração das operações concluída, dobrar o faturamento no país, que hoje responde por 60% do faturamento da América Latina.

“Não posso afirmar que é uma meta, mas é muito provável que a gente dobre o faturamento em um ano, porque agora passamos a contar com produtos de ponta somados à estrutura da Dell”, explica o gerente geral da Dell Sonicwall no Brasil, Douglas Rivero.

Antes composta por apenas quatro funcionários da área comercial, que trabalhavam na formação do canal de vendas, a divisão passará a oferecer também suporte pós-venda em português, a partir de 24 de setembro. De acordo com Rivero, ela será a primeira fornecedora de soluções de segurança a atuar com suporte no idioma nativo.

O executivo explica que, além do canal, a divisão também atuará com venda direta, feita por uma equipe de aproximadamente 400 pessoas. O diretor executivo de vendas da Dell Sonicwall, Marvin Blough, diz que a inclusão dessa estratégia de comercialização ocorreu porque a Dell já traz em seu DNA a atuação com essa modalidade de negócio. “Continuaremos a atuar com os canais, mas nosso foco será a certificação e especialização de revendas especializadas em segurança.

Programa de canais

Para Blough, a extensa rede de relacionamentos já estabelecida pela fabricante de PCs irá contribuir para alcançar clientes de maior porte, já que atualmente 80% da carteira da divisão é composta por pequenas e médias empresas (PMEs). Ele projeta que, daqui um ano, a Dell Sonicwall fornecerá soluções 100% integradas a serviços e produtos provenientes de outras aquisições da companhia. Embora a Dell não revele o valor da compra, a estimativa é que a transação atingiu US$ 1,1 bilhão.

O foco voltado para grandes empresas no Brasil, segundo Rivero, se deve a falta de uma cultura de segurança entre as PMEs, o que faz do setor público o principal cliente no mercado nacional. “Os produtos se adaptam a organizações com grande capilaridade e alta demanda de soluções de baixo custo”, explica. Entre os clientes, estão 6 mil escolas da rede estadual de São Paulo e os Tribunais Regionais Eleitorais brasileiros.

Para os próximos meses, no entanto, Rivera acredita que haverá uma mudança nesse cenário já que, com as tecnologias de ponta desenvolvidas nos últimos dois anos, as empresas de menor porte poderão ter acesso às soluções fornecida pela Dell. “Apenas nos últimos dois meses, foram gerados quase 80 leads de novos negócios”, afirma Rivero.